domingo, 5 de agosto de 2007

O fazendeiro Leandrius Bocão

O fazendeiro Leandrius Bocão fez uma pergunta e ao mesmo tempo uma declaração no blog do jornalista Altino Machado. Ele disse: (SIC) “- Porque todos voces, que defendem tanto essa maldita floresta que tanto traz o atraso do Acre, não mostram como ganhar dinheiro com esta porcaria? Em vez de ganhar dinheiro com boi, por favor, eu peço que me mostrem como progredir com a ajuda desta tal florestania.”

Ao contrário de uma resposta objetiva, tal qual foi a pergunta, com certo tom de desabafo, Leandrius obteve comentários irônicos, pejorativos e até agressivos e preconceituosos referentes à sua compleição física, seu modo de vida e de pensar por parte de alguns freqüentadores do blog do Altino, um dos maiores, senão o maior canal de debates democráticos da Internet sobre política ambiental amazônica.

Leandrius Bocão não merece toda essa agressividade e preconceito. Afinal o jovem fazendeiro, que parece ser gente fina (sem trocadilho), dentro de sua realidade sente-se ofendido e vilipendiado por sua maneira de ganhar a vida e contra-ataca o alvo errado, a floresta. É difícil crer que alguém sinta mais ódio de uma árvore do que de outro ser humano que venha de encontro aos seus interesses ou critique sua aparência e seu jeito de viver.

O Leandrius quer ganhar dinheiro e progredir com os bois ou com a floresta que estão em cima de seu pasto. Na verdade o Leandrius quer participar e saber do que se trata esse tal desenvolvimento sustentável de que tanto falam os ambientalistas, cientistas, jornalistas e políticos de ocasião. Do que se trata essa coisa que envolve o não desmatamento e ainda dá lucro? O Leandrius quer saber!

Talvez o Leandrius Bocão queira saber também onde tem leilão de madeira de lei, onde vender plantas exóticas da Amazônia, qual laboratório estrangeiro compra sapos vanenosos, insetos, plantas e outros tipos de criaturas que infestam o seu curral. O Leandrius quer aprender como fazer dinheiro com o que ele tem em suas terras além do gado. Ele está certo ou errado?

Enquanto o Leandrius, como muitos outros que pensam como ele, não obtiver um esclarecimento sem jargões esquerdistas, sem preconceitos primitivos e sem criticas ao seu modus vivendi ele vai continuar odiando a floresta, seus defensores e tudo que lhes diz respeito. Afinal, como ser a favor e defender aquilo que lhe impede de ganhar a vida sem te dar alternativas verdadeiramente compensadoras?

O Leandrius fez o comentário e a pergunta dele de forma sincera, objetiva e corajosa assinando em baixo e dando a cara a tapa. O Leandrius Bocão merece respeito e uma resposta tão simples e direta quanto ele, sem rodeios (com trocadilho).

2 comentários:

Leandrius disse...

Querido Braga, obrigado pela charge e pelo comentario ... estou muito alegre por saber que nem todos os leitores do blog do Altino sao destiladores de odio... valeu pela charge e votos de muito sucesso e vitoria na vida

Cartunista Braga disse...

Mano véi, se o Nosso Senhor Jesus Cristo continuar mandando mais gente do teu naipe pra face da terra, vai acabar com as guerras que tanto atrapalham os pensamentos. Muita sorte pra ti, mas respeite a floresta e o meio ambiente que é com eles que a gente se entende.