sexta-feira, 22 de junho de 2007

Essa é do tempo em que galinha tinha dente.

Penas pra que te quero

A dona galinha disse pro seu galo:
Toma. Segura que o ovo é teu.
Eu mesmo, que quase não falo,
Fiquei foi gago, mudo,
Tatibitate com o que aconteceu

E me contou suas duras penas,
Foi tanta pena que deu pena dela
Pois a galinha que não faz mais cenas
Há muito tempo que foi pra panela.

O galo mostrou seus direitos
Mas não negou mais esse herdeiro.
Cantou bem alto enchendo os peitos
E foi aplaudido por todo o terreiro.

Mas a coisa mais se complicou
Lá pelo lado de lá
Quando a galinha sincera falou:
É você quem vai chocar.

Eita, diabo!

Foi tanto bico, tanta beliscada.
Foi tanto grito, tanta berração.
Um ganso velho, sem entender nada
Só viu o ovo caindo no chão.

Aquele ovo gerou toda a briga
Irou o galo mesmo, de fato.
Olhou bem forte para a sua amiga
Ao ver que do ovo não saiu um pinto,
O que saiu foi um pato.

Mas que galinha sem-vergonha.
Merece a condenação.
Ser jogada na panela,
Ser cozida à cabidela
E ser o almoço do patrão.

Um comentário:

Léo disse...

Essa é do car....Agora tá registrada. Vou decorar pra recitar em tudo quanto é canto. só lembrei do dia que tu tava paulado no passeio de barco do Rio Acre e não conseguia recitar nem cum uma p...Coisa de bêbo...