terça-feira, 29 de março de 2011

Aquarela

Quando vi que era azul o joelho
Daquele velho cano amarelado
E torneira de bronze niquelado
Cujo registro PVA era vermelho

E que o encaixe da mangueira
Atada por um cinzento elástico
Tinha um acessório de plástico
Rosa de listras verde-bandeira

Que contrastava com o marrom
De dois tijolos debaixo d'água
Mais o colorido de uma tábua
Forrada com papéis de bombom

Sob um arbusto de flores lilás
Vendo a fila de formigas saúva
Com os olhos tingidos de chuva
Senti bem ali um aroma de paz

Nenhum comentário: