sexta-feira, 13 de dezembro de 2013

Adeus ano que vem

Uma pena pelos que partiram desta para melhor ou, infelizmente para pior. Foi um ano difícil para a maioria, mas foi maravilhoso para alguns privilegiados, sortudos, audaciosos e, sobretudo para um sem número de batalhadores e conquistadores contumazes, gente que conseguiu, nestes trezentos e tantos dias, realizar seus objetivos mais ansiados e poderá dizer à toda boca, de peito ventilado que este foi um ano supimpa.

Contrariando a propaganda política enganosa que diz que a vida de todo mundo vai melhorar, que o próximo ano será próspero, que você viverá muitos momentos de felicidade, dentre outros blá-blá-blás que permeiam as mensagens de cartões de natal e boas festas, as probabilidades de que tudo dê certo mesmo estão bem distantes da realidade e o futuro virá bem mais obscuro do que sonha a nossa vilã hipocrisia.

Eu desejo a todos, principalmente a todos os meus parentes, amigos e próximos, que continuem na vertical e respirando. Que uma bala perdida não os encontre, que ninguém ateie fogo no coletivo em que se espremam, quando voltarem de seus empregos. Que não percam os seus empregos e que seus filhos e filhas não vão à escola no dia em que o barranco desabar sobre ela, nem quando o maluco começar a atirar.

Anseio que tenhamos uma saúde de ferro e de primeiro mundo durante o ano inteirinho que virá. Que um dos trilhões de mosquitos da dengue não pouse em nós e mesmo assim, se pousar, que não nos pique. Que aja assim como o animal doméstico e de estimação que ele deveras é, tal e qual nossos cachorrinhos, gatinhos e outros "inhos" que jamais mordem a mão que os alimenta.

Quero também que nossos filhos nos peçam dinheiro para comprar bala e que não nos ameacem de nos enfiar bala, caso não dermos pra eles todo o nosso dinheiro para que comprem drogas. Que as nossas filhas não engravidem antes dos treze anos, Que elas não engravidem novamente, depois dos catorze. Quero mais que tudo que nossas crianças sejam crianças e, por Deus, cresçam.

Desejo demais que todos, principalmente eu, desliguem a televisão. Espero poder encontrar com todos, frente a frente pra gente trocar umas ideias, pra gente bater um papo legal. Espero que todos, principalmente eu, desliguem o celular, o computador... Que saiam da internet! ...Pelo menos na hora de nossas necessidades fisiológicas ou em alguma emergência, como, por exemplo, almoçar e jantar com a nossa família.

Desejo que o Brasil ganhe tudo, neste ano que vem, que é o ano da Copa do Mundo. Que ganhe educação, segurança e justiça. Anseio muito que ninguém tenha que perder a vida só porque caiu na besteira de ir ver uma inocente e divertida partida de futebol, no seu estádio superfaturado, pagando um ingresso ao valor de seus olhos da cara. Desejo que todos nós ganhemos vergonha na cara.

Quero de todo o meu coração que o ano que vem, cheio de mistérios e pré-visões devidamente estabelecidas, posto que, de tão corriqueiras são inevitáveis ano a ano, seja completo em seus doze meses vindouros. Que nosso mundo não se acabe, que sobrevivamos ao que nos aguarda. Por fim, ciente do que está por vir, das tormentas por quais passaremos, desejo ardentemente a todos que votem bem no ano que vem.

Um comentário:

Jose Franco franco disse...

Olá Braga,tudo bem? Sou acadêmico de jornalismo da Ufac e vou fazer minha monografia sobre charge.gostaria de saber se você escreve para algum jornal aqui no Acre?Pois vou analisar o discurso político das charges no período eleitoral do ano de 2012.Tambem se você tem charges desse período.Ia fazer com outros chargistas,mas descobri o seu Blog e gostei muito da sua ironia e humor.Shalom Hadonay.Contato:jfranco_32@hotmail.com